Moreira e Ndoniema reintegram selecção

Delegação deixa em princípio hoje a capital do país com destino a China

Os internacionais angolanos, Yanick Moreira, poste, e Edson Ndoniema, extremo base, reconsideraram as suas posições e decidiram integrar os trabalhos da Selecção Nacional de basquetebol em seniores masculinos, que, em princípio, deixa hoje, quinta-feira, a capital do país, Luanda, com destino a República Popular da China, onde de 28 do mês em curso a 5 de Agosto próximo, vai disputar o torneio internacional, prova enquadrada no âmbito da sua preparação, visando a quarta janela de qualificação zona africana para a Copa do Mundo de 2019.
Depois de terem marcado presença na reunião de concentração de terça-feira, no Pavilhão Arena do Kilamba, os atletas acima referenciados viram-se forçados a deixar o grupo, em face das declarações do secretário-geral da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), Nelson Sardinha \"Futuro\", que, num tom arrogante, disse enquanto a selecção estiver a trabalhar no país não haveria qualquer remuneração, segundo apurou o Jornal dos Desportos junto de uma fonte.
Este discurso musculado, terá caído mal nas hostes dos atletas acima referenciados, que de imediato, abandonaram o Pavilhão Arena do Kilamba, sob olhar silencioso de José Carlos Guimarães, um dos adjuntos do técnico norte-americano, Will Voigt.
Perante estes abandonos, Helder Martins da Cruz “Maneda”, presidente de direção da FAB, havia ordenado o técnico José Carlos Guimarães, para informar ao seleccionador nacional sobre o sucedido, para posteriormente indicar os substitutos de Yanick Moreira e Edson Ndoniema.
Ontem, o presidente da federação recuou na sua decisão, tendo reunido com os dois atletas, no Pavilhão Arena do Kilamba, enquanto o grupo treinava de forma amputada.
Entretanto, Carlos Morais, Leonel Paulo e Valdelício Joaquim, atletas que haviam sido igualmente notificados, para embarcarem para a República Popular da China, declinaram a convocatória, alegando problemas familiares, facto que obrigou o seleccionador nacional a reformular a lista dos convocados.
O nível acentuado de desorganização do órgão reitor da modalidade no país, tem permitido a “fuga” massiva de jogadores.
Terça-feira, apenas sete dos doze jogadores convocados para o torneio internacional, marcaram presença na primeira sessão de treinos, nomeadamente, Hermenegildo M’bunga, Pedro Bastos, Sebastião Quicuame, Alexandre Jungo, Mohamed Malick Cissé, Leandro Conceição e Sílvio Mendes Mateus.
Ontem, na derradeira sessão, antes do embarque para o país asiático, apenas sete atletas trabalharam as ordens de José Carlos Guimarães. Tratam-se de Leandro Conceição, Sebastião Quicuame, Gerson Gonçalves “Lukeny”, Pedro Bastos, Hermenegildo M’bunga, Mohamed Malick Cissé e Sílvio Mendes Mateus.
Gerson Domingos, base do Grupo Desportivo Interclube, apesar de se fazer presente no Pavilhão Arena Kilamba, não treinou com o resto do grupo.
Já o seu companheiro de equipa, Alexandre Jungo, a tratar assuntos administrativos, também esteve ausente na sessão de ontem, a par de Reggie Moore, que segue viagem sem ter realizado qualquer treino.
Angola figura no Grupo E, juntamente com os Camarões, selecção com quem se estreia na quarta janela de qualificação, a 14 de Setembro, Tunísia, Egipto, Marrocos e Chad, respectivamente.
O Grupo F é constituído pela Nigéria, Senegal, República Centro Africano, Rwanda, Costa do Marfim e Mali. Tunísia acolhe, de 14 a 16 de Setembro, a quarta janela de qualificação zona africana para a Copa do Mundo de 2019. Seguem viagem para a República Popular da China os seguintes atletas: Hermenegildo M´bunga, Pedro Bastos, Alexandre Jungo, Gerson Domingos, Gerson Gonçalves \"Lukeny\", Mohamed Malick Cissé, Leandro Conceição, Edson Ndoniema, Sebastião Quicuame, Reggie Moore, Yanick Moreira e Sílvio Mendes Mateus.

Viagem
Delegação parte incompleta para China

A delegação angolana de basquetebol chefiada por Benjamin Romano, antigo internacional angolano, segue viagem hoje, quinta-feira, para República Popular da China, sem o seu médico, doutor João Mulima, para além do preparador físico, Nataniel Alcides David Lucas.
De acordo com a lista dos convocados que tivemos acesso, a figura do médico foi completamente negligenciada, uma vez que não consta da delegação o nome do doutor João Mulima.
Já o nome do preparador físico, apesar de constar da lista, o mesmo encontra-se em Londres, Inglaterra, em gozo de férias.
As vicissitudes vividas pela delegação angolana, após a disputa da terceira janela de qualificação zona africana para a Copa do Mundo da China, prova disputada no Egipto, poderá levar o preparador físico a abandonar o cinco nacional. O técnico norte-americano, Will Voigt, que mais uma vez vai sair do seu país para a República Popular da China, far-se-á acompanhar apenas de um dos seus adjuntos, Mathias Eckhoff, ao passo que John Bryant ficará de fora.
Eis a composição da delegação angolana: Hermenegildo M´bunga, Pedro Bastos, Alexandre Jungo, Gerson Domingos, Gerson Gonçalves \"Lukeny\", Mohamed Malick Cissé, Leandro Conceição, Edson Ndoniema, Sebastião Quicuame, Reggie Moore, Yanick Moreira e Sílvio Mendes Mateus (todos atletas), Benjamim Romano, chefe da delegação, José Carlos Guimarães, Walter Costa, ambos adjuntos de Will Voigt, Emanuel Mavomo, scouting, André Gonçalves, massagista, e Pova Francisco. estatistica.

Postura
Atitude de Will irrita José Carlos

A falta de comunicação entre o seleccionador nacional dos hendecacampeões africanos, o norte-americano, Will Voigt, e um dos seus adjuntos angolanos, José Carlos Guimarães, está a deixar o antigo internacional desconfortado, segundo apurou o Jornal dos Desportos junto de uma fonte federativa.
Depois dos acontecimentos do Cairo, capital do Egipto, palco que recebeu a terceira janela de qualificação, zona africana, para a Copa do Mundo de 2019, onde não havia diálogo entre os dois treinadores, Will Voigt fez a convocatória sem dar a conhecer aos seus adjuntos angolanos.
Will Voigt entregou a convocatórias na quarta-feira da semana passada a direcção da FAB, tendo os técnicos angolanos tomado contacto com a lista, apenas na segunda-feira, um dia antes do início dos trabalhos.
O plano de preparação enviado pelo seleccionador nacional, Will Voigt, chegou através de terceiros, as mãos do técnico José Carlos Guimarães.

QUATRO ATLETAS
PARTEM SEM TREINAR

A falta de comunicação entre o seleccionador nacional dos hendecacampeões africanos, o norte-americano, Will Voigt, e um dos seus adjuntos angolanos, José Carlos Guimarães, está a deixar o antigo internacional desconfortado, segundo apurou o Jornal dos Desportos junto de uma fonte federativa.
Depois dos acontecimentos do Cairo, capital do Egipto, palco que recebeu a terceira janela de qualificação, zona africana, para a Copa do Mundo de 2019, onde não havia diálogo entre os dois treinadores, Will Voigt fez a convocatória sem dar a conhecer aos seus adjuntos angolanos.
Will Voigt entregou a convocatórias na quarta-feira da semana passada a direcção da FAB, tendo os técnicos angolanos tomado contacto com a lista, apenas na segunda-feira, um dia antes do início dos trabalhos.
O plano de preparação enviado pelo seleccionador nacional, Will Voigt, chegou através de terceiros, as mãos do técnico José Carlos Guimarães.

QUATRO ATLETAS
PARTEM SEM TREINAR

Quatro dos doze atletas convocados para o torneio internacional da China, prova a decorrer de 28 do mês em curso a 5 de Agosto próximo, seguem viagem para aquele país asíatico, sem terem realizado qualquer treino.
Tratam-se de Reggie Moore, Yanick Moreira, Edson Ndoniema e Gerson Domingos, respectivamente. Os hendecacampeões africanos realizaram apenas duas sessões de treinos, no Pavilhão Arena do Kilamba, antes de seguirem viagem para a República Popular da China.

Sub-17
Selecção Nacionalsoma quarta derrota

A Selecção Nacional de basquetebol feminina em Sub-17 somou a quarta derrota consecutiva, ao perder ontem frente a Hungria, por 48-88, em partida a contar para os oitavos-de-final do Campeonato do Mundo da categoria, prova que decorre em Minsk, capital da Bielorrússia. Apesar do desaire, as pupilas de Elisa Pires conseguiram vergar no derradeiro quarto as húngaras, por 12-18, num prélio onde o combinado nacional esteve mal dos três primeiros períodos.
No primeiro quarto, a Selecção Nacional perdeu no parcial por 10-24, ao passo que no segundo período anotou apenas quatro pontos, contra 26 da sua opositora.
No terceiro período, as angolanas conseguiram equilibrar o rumo dos acontecimentos, tendo perdido por 16-26. O resultado final (88-48), atesta perfeitamente a superioridade da selecção da Hungria.
Durante a fase regular, o cinco nacional somou três derrotas: diante da Austrália,  Canadá e Letónia, por 43-81, 36-66 e 47-68, respectivamente. Ainda ontem, a Letónia derrotou a Argentina, por 58-72, enquanto a Espanha venceu o Canadá, por 72-50.
Hoje, quinta-feira, a competição regista mais uma pausa, reatando amanhã, com a disputa dos quartos-de-final.