Gelson Dala entre os candidatos do ano

O internacional angolano Gelson Dala concorre ao prémio de melhor futebolista africano do ano, segundo uma lista divulgada ontem pela Confederação Africana de Futebol (CAF).

O internacional angolano Gelson Dala concorre ao prémio de melhor futebolista africano do ano, segundo uma lista divulgada ontem pela Confederação Africana de Futebol (CAF).
O futebolista, que actua no Rio Ave por empréstimo do Sporting, vai disputar a “bola de ouro” com mais 33 jogadores, com destaques para o egípcio Mohamed Salah (Liverpool), vencedor em 2017, o senegalês Sadio Mané (Liverpool), o argelino Riyad Mahrez (Manchester City), o gabonês Pierre Aubameyabg (Arsenal), o marroquino Benatia (Juventus), o argelino Brahime e o maliano Moussa Marega, ambos do FC Porto.
Formado no 1º de Agosto, o atacante tem sido preponderante na sua equipa e na selecção nacional, que disputa o apuramento ao próximo Campeonato Africano das Nações, a disputar-se em 2019, nos Camarões. O atleta de 22 anos já marcou três golos em cinco partidas, pelos Palancas Negras, o mesmo número de tentos no Rio Ave em dez jogos na liga portuguesa.
Daúto Faquirá, técnico luso-moçambicano, fã confesso do avançado e que desde a primeira hora manifestou a sua satisfação pelo facto de ver o ex-pupilo a ser emprestado, disse recentemente, em entrevista ao Jornal dos Desportos, que sempre acreditou no potencial do atleta e o seu crescimento.
\"A melhor altura para ele se afirmar é esta, o Rio Ave pode ser fundamental para a afirmação dele, até pela idade que tem\", afirmou. Confiante, acrescentou que \"tem todas as condições para evoluir, tem qualidade técnica e humana, infra-estruturas e recursos humanos para ajudar o Gelson\", sublinhou.
Defendeu que o futebol é feito de momentos e o actual é o ideal para o internacional angolano aproveitar para marcar ou dar a marcar, como tem feito desde que se estreou no seu novo clube. \"As pessoas acreditam nele, os avançados vivem dos golos, mas se ele assistir aos colegas também vai ser bom, é melhor assim do que ficar sem marcar\", concluiu.
As palavras de Faquirá, além de servirem de incentivo, foram sempre total crença no potencial do avançado.  \"As coisas que ele encontrou, até mesmo no aspecto competitivo, nada têm a ver com o que ele conhecia antes, ao chegar a Portugal\", recordou.
\"Houve uma série de factores aos quais teve de dar respostas, naturalmente o critério principal é a qualidade, o rendimento nos treinos e jogos, mas para chegar lá é preciso que os novos tenham um tempo de adaptação, como sucedeu com muitos outros\", garantiu.
\"É importante nessa fase, que o Gelson esteja rodeado de pessoas como as que encontrou no novo clube, gostam e acreditam nele, é óptimo que isso esteja a acontecer, mas quando as pessoas se apegam a outros critérios, como o racismo, para justificar questões técnicas, é porque não estão realmente interessadas no Gelson\", rematou
O avançado, que esteve na rota da Bundesliga, ao ser observado por clubes como o Bayern de Munique e o Nuremberga, tem se evidenciado na Selecção Nacional e no Rio Ave, despertando também interesse de clubes da terra de Sua Majestade. Aliás, esteve particularmente bem cotado em Liverpool.
Os vencedores serão anunciados a 8 de Janeiro, na gala da CAF, que decorrerá em Dakar, no Senegal. Conquistaram as últimas três edições do prémio, Riyad Mahrez (2015), Pierre-Emeriick Aubameyang (2016) e Mohamed Sala (2017).