Ruben Garcia defende melhoria do treino

A presença de Gelson Dala na lista dos 33 atletas que concorreram a eleição de melhor jogador africano de 2018, ganho pelo egípcio Mohamed Salah, não reflecte a realidade do futebol angolano

A presença de Gelson Dala na lista dos 33 atletas que concorreram a eleição de melhor jogador africano de 2018, ganho pelo egípcio Mohamed Salah, não reflecte a realidade do futebol angolano
A afirmação é do antigo técnico da selecção, o argentino Rúben Garcia, reagindo à Angop por este facto que engrandece o país, mas acha urgente a melhoria da qualidade do treino para que os atletas nacionais se equiparem aos africanos que evoluem na Europa.
Acrescentou ser necessário “olhar” para a frágil condição da modalidade no capítulo interno e aumentar a exigência do treinameno, apesar do prestígio que representa a nomeação a tal nível para o futebol nacional.
Gerson Dala, que evolui no Rio Ave, da primeira liga portuguesa, torna-se no quarto angolano nomeado para o prémio de melhor atleta africano do ano, depois de Mantorras e Flávio (2001) e Akwá (2006).
A gala de premiação da CAF, realizada em Dakar (Senegal), contou com a presença de dois angolanos, designadamente, o presidente da FAF, Artur de Almeida, e Gilberto Amaral, este último na condição de convidado.
Trata-se do segundo troféu do género do jogador árabe depois do feito de 2017, onde concorreu, curiosamente, com estes mesmos dois adversários.