Duas “senhoras” entre vinte e quatro árbitros

O Conselho Central de Árbitros de Futebol da FAF indicou 24 juízes e 50 assistentes para dirigirem os 30 jogos que comportam o Girabola Zap de 2018, escolhidos entre os quadros nacionais e internacionais.

O Conselho Central de Árbitros de Futebol da FAF indicou 24 juízes e 50 assistentes para dirigirem os 30 jogos que comportam o Girabola Zap de 2018, escolhidos entre os quadros nacionais e internacionais.
Neste contexto, dos 24 árbitros indicados pelo CCAF da FAF constam cinco do quadro internacional, enquanto o resto faz parte do quadro nacional.
Quanto ao género, no grupo de árbitros de referência constam duas senhoras, nomeadamente Marximina Bernardo, da província de Luanda e Tânia Duarte, da província da Huíla.
Para esta época, o Girabola Zap conta com o concurso de Hélder Martins, Osvaldo Félix, António Caxala, Pedro dos Santos, Bernardo Moreira, João Goma, Julião Mateus, José Maxia, Airton Carmelino, Sabino de Carvalho e Marximina Bernardo, todos da província de Luanda.
São ainda juízes, indicados para apitarem os jogos, António Dungula, Paulo Talaya, Nuno Eduardo e Benjamim Andrade, de Benguela. José Álvaro, Bernardo Nangolo e Tânia Duarte, ambos da Huíla. Chitani Francisco, do Namibe, Rodrigues Aleixo e Feliciano Lucas da província do Huambo.  
No que respeita aos assistentes, o Conselho Central conta com 50 auxiliares, dos quais sete do quadro internacional.       
AP