Libolo e Maio abrem a “festa” em Calulo

A liderança do campeonato, na jornada inaugural, nada tem a ver com o sagrar-se campeão, mas o Recreativo do Libolo  sabe que estar na liderança é condição indispensável para terminar em primeiro.

A liderança do campeonato, na jornada inaugural, nada tem a ver com o sagrar-se campeão, mas o Recreativo do Libolo  sabe que estar na liderança é condição indispensável para terminar em primeiro. É por isso, que hoje a partir das 15 horas no Estádio de Calulo, os libolenses abrem o Girabola ZAP 2018  no jogo com o 1º de Maio de Benguela, com os olhos postos nos três pontos, a justificar desde o começo o rótulo de candidato.
Os jogos com o 1º de Maio trazem sempre grandes recordações ao Libolo, pois, o normal é a vitória sorrir a quem demonstra dentro e fora de casa ser mais forte. Os libolenses entram moralizados na ditadura sobre os proletários, motivo por que não vão destoar na estreia com a que aparenta ser o seu maior cliente do campeonato.
 As mudanças no comando técnico e a saída de atletas influentes, ajudaram o Libolo a ter nome no futebol nacional, de modo algum  serve de desculpas, por um percalço caseiro. Os que aceitaram entrar para substituir quem saiu, sabem quanto valem mais do que aceitar o desafio de reforçar a equipa, ambicionam provar que podem contribuir para que o emblema do Cuanza - Sul volte a ser competitivo.
O técnico Kito Ribeiro costuma fazer bons trabalhos nas equipas por que passa, porém, nunca teve a chance de treinar uma equipa grande. Uma vitória na estreia é importante para o estreante treinador começar a aquecer o banco, e provar que é o homem certo no lugar certo, embora, seja verdade que o Libolo de hoje não parece ter os cofres como no passado.
A manutenção e não o título, é a meta do 1º de Maio de Benguela, para atingir esse objectivo é determinante a colheita de pontos, até mesmo extramuros, que os proletários têm de fazer. A história e a estatística dão poucos motivos para Agostinho Tramagal e pupilos estarem confiantes na obtenção de um bom resultado, que até pode ser um empate.
Os proletários estão fortes, desde que Agostinho Tramagal assumiu o comando técnico quando o campeonato transacto já estava a decorrer, mas também é verdade que a saída de atletas influentes como Kaporal e Rui, Interclube, debilitou a força competitiva que o 1º de Maio necessitava para inverter a má série contra o Libolo.
Um empate talvez fosse de grande satisfação para os proletários, pois, em regra perdem diante dos libolenses. O resultado da estreia é incapaz de determinar tudo, mas é ponto assente que o 1º de Maio vai  super motivado a Calulo e pode sair satisfeito se conseguir empatar com o Libolo.
Além do jogo de Calulo, a jornada inaugural do campeonato reserva para esta tarde o JGM - FC Bravos do Maquis, às 15 horas nos Kurikutelas, desafio que os maquisardes têm imensas chances de facturar os 3 pontos, se mostrarem no rectângulo que são mais equipa, no plano teórico ninguém dúvida da melhor qualidade do plantel forasteiro.
O JMG  enganou a todos na época de estreia do campeonato, sobreviveu de maneira inesperada, motivo por que os maquisardes têm de estar de sobreaviso para impedir que a equipa caseira saboreie qualquer ponto.
Os maquisardes foram intermitentes na época passada, fica claro que o técnico Zeca Amaral ambiciona passar  nova mensagem à sua massa adepta, um triunfo extramuros ajuda o Maquis a dar o primeiro passo para uma temporada tranquila.

AMANHÃ
A jornada prossegue amanhã com a disputa do único jogo, trata-se do Domant - Sagrada Esperança às 15 horas no Estádio do Dande, embate que os diamantíferos vão pôr à prova o real poder competitivo da equipa caseira, que voltou ao campeonato e não conta regressar de imediato.
A  equipa diamantífera foi a sensação da temporada transacta, o que significa que o Domant sabe o que  espera, vai ser necessário muita disposição física de quem joga em casa para acompanhar a passada larga que o Sagrada impõe, uma vez que é esse o estilo das equipas do técnico Ekrem Asma.
O Sagrada Esperança pode querer e poder, contudo, ainda não é agora que vai ser colocado no grupo de candidatos ao título, isso de modo algum significa que os diamantíferos estejam proibidos de sonhar a partir de hoje no Dande, vencer é uma mera formalidade a cumprir pela equipa da Lunda -Norte.
A diferença de qualidade entre os contendores deve ser bem entendida pelo Domant, se for humilde e aceitar que não tem as mesmas armas, pode aumentar as chances de oferecer uma prenda aos adeptos na estreia no campeonato.
O outro destaque da tarde dominical, recaí  na deslocação do Interclube ao reduto do Desportivo da Huíla, seguramente um dos jogos mais equilibrados da ronda inaugural. Militares e polícias são capazes de tudo, mas a pressão está mais do lado de quem viaja de Luanda para tomar parte no embate marcado para às 15 no Ferrovia.
A época de estreia do técnico Paulo Torres foi marcada por altos e baixos, melhor do que ninguém o treinador sabe, que a partir de agora a direcção tem todos os motivos para aumentar a cobrança. Um triunfo, num dos campos mais difíceis do Girabola ZAP, pode dar aos polícias a primeira credencial para entrar no grupo restrito de candidatos ao título.
Os militares prometem muito, como sempre, mas questões de bastidores acabam sempre por condicionar o rendimento em campo. Problemas extra - campo de lado, o que se pretende é que o Desportivo cumpra com a tradição da época passada, bater o pé aos candidatos ao título no seu reduto.

FORA DE PORTAS
Proletários preparados
para as “encomendas”

O vice-presidente do 1º de Maio de Benguela, Vitorino Visele, disse que o desafio com o Recreativo do Libolo vai ser difícil, a julgar pelo peso e o histórico do adversário, ainda assim, afirmou ser do interesse do colectivo de trabalho pontuar na deslocação à vila de Calulo.
\"Vamos defrontar uma das melhores equipas do Girabola e com fortes pretensões na conquista do ceptro. Nem por isso, vamos diminuídos. A equipa está boa e preparada para a empreitada”, precisou.
A equipa deixou na  sexta-feira a cidade de Benguela para o local das \"hostilidades\", no Estádio municipal de Calulo, a caravana desloca-se por via terrestre.
A direcção do clube 1º de Maio de Benguela criou condições materiais e morais para a equipa realizar uma campanha futebolística, à medida das reais capacidades económica e desportiva, segundo Vitorino Visele que reiterou a disposição em lutar pela manutenção no Girabola  Zap2018.
\"Tivemos o cuidado de reunir condições precisas, para mantermos a equipa na primeira divisão. É um esforço que vale a pena, apesar das limitações com  que nos deparámos em termos de financiamento\", revelou o Vitorino Visele, para de seguida lamentar o fraco apoio da sociedade benguelense.
\"Se por ventura, tivéssemos a sorte de receber metade da assistência do que certos clubes recebem, garanto-vos que fazíamos um campeonato com resultados muito melhores, do que já conseguimos. Infelizmente, nos conformamos com o pouco que nos é dado a gerir, e os resultados não são tão maus. É neste espírito de luta e conquista que nos entregamos, com a certeza de que estamos em bom caminho\", sublinhou.
JG