Mbappé foi descoberto em subúrbios de França

Craque da selecção francesa passou seis anos a desenvolver habilidades em equipas da zona do nordeste de Paris

O sucesso da carreira do jovem avançado francês Kylian Mbappe, no Mundial da Rússia, motivou a imprensa local a investigar o seu percurso, tendo-se chegado à conclusão de que o camisola 10 dos “Les Bleus” é um talento que nasceu para o futebol.
A sua ascensão ocorreu muito rapidamente e segundo a história da sua carreira, Mbappé muito cedo começou a dar nas vistas ainda nos escalões de formação do AS Bondy, uma equipa dos subúrbios do nordeste de França.
Nessa altura, o jogador passou a maior parte dos seus anos de formação a desenvolver as habilidades técnicas e futebolísticas. O jogador já conquistara uma enorme popularidade, tendo o seu talento despertado o interesse de novos membros do clube, que passaram a seguir de perto os passos do jogador.
Numa reportagem interessante publicada ontem pelo diário russo “The Russian Times” é possível ler os vários depoimentos feitos por antigos dirigentes e treinadores de Kylian Mbappe, nos tempos de formação do atleta, ainda ao serviço do AS Bondy, clube sediado nos subúrbios de França.
Atmane Airouche, presidente da AS Bondy, refere-se ao jogador como sendo um filho que nasceu, cresceu e se fez homem no clube. Afirma que Mbappe chegou ainda bebé, quando o seu pai, Wilfried, era jogador e treinador do mesmo clube.
\"Quando jogávamos, pouco antes do pontapé de saída dos jogos você via uma criança de dois anos com uma bola e ele sentava connosco para ouvir as conversas da equipa. Acho que ele é o jogador daqui que deve ter ouvido o número recorde de conversas de equipa antes do jogo”, recorda Atmane Airouche, citado pelo jornal russo.
Já o seu antigo treinador de sub-13, Antonio Riccardi, considera o progenitor de Mbappe como o seu segundo pai. Conta que conheceu o craque da selecção francesa ainda bebé, mas a primeira vez que o treinou foi quando ele tinha seis anos de idade. Apenas alguns meses depois dele começar a jogar para a faixa etária dos estreantes, notava-se que poderia ser diferente dos demais.
\"Kylian podia fazer muito mais que as outras crianças. Seu drible já era fantástico e ele era muito mais rápido que os outros meninos”, lembra o treinador.
“Ele (Mbappe) nasceu no futebol. O seu pai era um líder jovem, trabalhando com crianças na área local e depois foi contratado para o AS Bondy. Ele só nos deixou há três meses, mas a sua marca ficará aqui para sempre. Dedicou 25 anos de sua vida a este clube. E a mãe de Mbappe também teve uma grande influência na carreira do jogador. Ela era uma excelente jogadora profissional de andebol”, acrescentou Antonio Riccardi.
De acordo ainda com o ex-treinador de Kylian Mbappe, o pai do jogador há pouco menos de três meses desenvolveu trabalhos de diretor desportivo do clube AS Bondy, a quem era incumbida a missão de cuidar dos atletas menores de 10 até os 17 anos.
“Mbappe era um grande fã de Cristiano Ronaldo. Tinha várias fotos do português espalhadas pelas paredes do seu quarto, mas ele era fã de muitos grandes jogadores. Ele não seguiu uma equipa em particular, era um fã de muitos jogadores de topo. Ronaldo foi definitivamente o seu herói de infância”, garante o seu antigo treinador de formação.
Refere ainda Antonio Riccardi - citado pelo jornal russo - que Kylian Mbappé sempre pensava em futebol, sempre falava sobre futebol e sempre assistia futebol. Se não estivesse a jogar, ficava a divertir-se com o futebol na PlayStation.
\"Ele até transformou a sua sala de estar num campo de futebol. Quando era jovem, eu costumava levar Kylian Mbappé para casa e cuidava dele até que a mãe dele chegasse do trabalho”, conta.\"Ele sempre quis jogar a bola na sala de estar! O sofá ou a mesa seria a baliza. Ele dizia: \'Não diga nada à minha mãe, não diga ao meu pai, porque eles não querem que eu toque aqui. Por favor, não conte. Então nós costumávamos jogar e eu mantive esse segredo para ele. Felizmente ele nunca partiu nada com a bola”, revela o treinador.
Mbappé fez sua estreia no Mónaco a 2 de dezembro de 2015 como um substituto tardio - no processo quebrando o recorde do ex-atacante francês Thierry Henry de se tornar o mais jovem jogador do Mônaco em 16 anos, 347 dias.
Foi uma das estrelas da selecção francesa, na Alemanha, em 2016, marcando cinco golos, incluindo dois nas meias-finais . O goleador deste campeonato foi Jean-Kevin Augustin, que acabou de deixar o PSG para se juntar ao clube alemão RB Leipzig. “Kylian sempre foi entusiasta. Você tem que trabalhar duro quando você tem um talento como ele, porque se não o fizer, outros que são menos talentosos, mas estão trabalhando duro o vão apanhar”, refere Riccardi, em declarações ao “The Russian Times”.\"Em Bondy não havia momentos reais de dificuldades para ele, porque era muito melhor que os outros. Mas eu sei que o primeiro ano no Mónaco foi difícil para ele, porque tinha um treinador que não gostava muito dele. Hoje o técnico não está mais no Mónaco e Kylian Mbappé está no PSG e na selecção francesa. Então foi o técnico que errou”, garante o treinador do AS Bondy.
Concordou em assinar pelo Mónaco com apenas 14 anos de idade. Diz-se que, na altura, chegou a receber propostas de todos os clubes de topo da liga francesa, incluindo Real Madrid, Chelsea, Manchester City, Liverpool e Bayern de Munique, mas recusou. Em menos de dois anos, o jogador viria a tornar-se no mais jovem bicampeão da League 1 e jogador mais regular, tendo chegado ao gigante Paris Saint-Germain por um contrato de 180 milhões de euros.