Direcção quer resgate do prestígio internacional

A regularização da situação angolana junto das instituições internacionais para  devolver a dignidade e prestígio do desporto nacional, constitui a primazia nos primeiros dias.

A regularização da situação angolana junto das instituições internacionais para  devolver a dignidade e prestígio do desporto nacional, constitui a primazia nos primeiros dias de funcionamento da nova estrutura orgânica da Federação Angolana de Ténis, eleita a 24 de Fevereiro para o quadriénio 2017/2020.
Liderado pelo presidente Matias Castro da Silva, o novo elenco gestor do ténis no território nacional conta com o apoio da Federação Internacional de Ténis (ITF) e da Confederação Africana de Ténis (CAT) na sua intensa tarefa de retirar a modalidade das raquetes do marasmo em que se encontra, devido à inoperância do órgão reitor, em consequência da falta de entendimento entre agentes desportivos.
Durante a cerimónia de tomada de posse, os corpos gerentes da Federação em apreço, juraram fidelidade no desempenho das funções diante de associados e amantes da modalidade, num evento prestigiado com a presença do secretário-geral da Zona V, Vilige Tauabo, acompanhado da representante da zona junto da CAT, dra. Kapira.
Ao tomar a palavra, Matias Castro da Silva defendeu a necessidade de uma gestão parcimoniosa de recursos financeiros alocados à instituição, a aposta na formação do pessoal e ao aproveitamento racional do tempo que resta, para compensar o desperdício a que a modalidade ficou votada, por imperativos pouco abonatórios.
Para Matias Castro da Silva “os conflituosos e detratores não têm espaços de manobra, uma vez que os associados demonstraram que estão interessados no resgate da imagem que o país já teve num passado recente, o prestígio da instituição que vela pela massificação e desenvolvimento do ténis degradou-se de modo acentuado, em virtude do interesse de pessoas que minaram o bom nome com o fomento de intrigas no seio da família”, de modos que é a altura de pôr mãos à obra e trabalhar para alterar o quadro.
O homem forte do ténis sente-se encorajado quanto à celeridade do desenvolvimento do ténis, não só pelo forte comprometimento dos associados como também com algumas vantagens que o país conta, nomeadamente, a funcionalidade dos Caminhos de Ferro de Benguela, do Lobito ao Luau.
A realização para breve da Assembleia-geral ordinário, Matias Castro da Silva frisou que vai servir para se fazer uma incursão detalhada sobre as linhas que vão reforças os paradigmas da instituição, contudo, considera imperiosa a criação de vários torneios para manter os atletas em constante actividade desportiva.
“A realização anual do torneio “João Ngueira” em homenagem a uma personalidade de destaque na massificação do ténis nacional, deve anteceder às demais competições. O tempo perdido deve ser recompensado com trabalho, sem perder de vista à necessidade da contenção de despesas e de mais aposta na formação de quadros”, avançou Matias Castro da Silva.
HJ

Serena regressa às quadras

Quase seis meses depois  de dar à luz, Alexis Olympia, a tenista Serena Williams prepara o regresso ao circuito de ténis, sem se esquecer das dificuldades por que passou durante a recuperação do parto. Em entrevista à emissora britânica BBC, a tenista disse que a evolução é gradativa e que tem a persistência de voltar em alto nível.
"Tem sido difícil. Tive vários dias em que mesmo a sentir-me bem,  perguntava-me: como eu vou continuar. Tem sido realmente difícil, talvez não esteja no meu melhor, mas estou a chegar lá, e todo dia é um novo dia para melhorar".
Num artigo no site da emissora "CNN", escrito recentemente, Serena contou que as complicações do parto quase provocaram a morte. Agora, seis meses depois, ela está confirmada para a disputa do WTA de Indian Wells.