McLaren rejeita problemas com Alonso

A fase da McLaren não é das melhores. Isso é tão claro quanto o desconforto vivido nas últimas semanas entre Fernando Alonso.

Para o director-executivo da McLaren, a frustração de Fernando Alonso é a mesma da equipa. Apesar do bom convívio, Zak Brown admite que será difícil segurar o bicampeão ao fim da temporada, quando vencer o seu contrato. A fase da McLaren não é das melhores. Isso é tão claro quanto o desconforto vivido nas últimas semanas entre Fernando Alonso e a equipa, algo que ficou evidente durante o GP do Canadá, no último domingo (11).

Alonso abandonou a prova quando restavam apenas duas voltas para o fim e tinha grandes chances de somar o primeiro ponto para a equipa na temporada. Porém, o director-executivo da McLaren, Zak Brown, insiste em rechaçar qualquer tipo de atrito ou problemas de relacionamento entre o bicampeão e a equipa.  \"A tensão é zero entre o Fernando e a McLaren. O relacionamento nunca foi tão saudável. Ele está frustrado, mas estamos juntos com ele nessa frustração\", afirmou Brown ao jornal espanhol \'As\'.

 Alonso já disse em outras oportunidades que só fica na McLaren caso a equipa demonstre alguma competitividade ainda este ano. Caso contrário, seu destino poderia ser outra equipa da F1 ou até mesmo optar por uma temporada completa na Indy, ainda mais depois da experiência vivida na Indy 500.

\"Eu acho que Fernando ama o ambiente que temos aqui na McLaren, e não acho que não existe outra equipa em que ele iria preferir correr mais do que connosco. Ele quer competir nas primeiras posições, e eu entendo isso\", disse.  Justamente por esse desejo de Alonso em estar entre os primeiros colocados, Brown reconhece que continuar com o espanhol para as próximas temporadas é algo mais complicado. \"Temos certeza de que queremos que ele fique, e ele foi muito claro quando disse que queria ficar.

Mas precisamos de um carro melhor, e é aí que está toda nossa atenção\", complementou. O contrato de Alonso com a McLaren vai até o fim da temporada, e o espanhol avisou que só vai discutir o seu futuro depois do segundo semestre, entre Agosto e Setembro, após as férias de verão na Europa.