Arsenal supera protestos e regressa às vitórias

Numa fase de maior tensão da relação entre o técnico Arsene Wenger e a claque do Arsenal em razão de três derrotas consecutivas no Campeonato Inglês.

Numa fase de maior tensão da relação entre o técnico Arsene Wenger e a claque do Arsenal em razão de três derrotas consecutivas no Campeonato Inglês, eis que ontem surgiu o alívio: o Arsenal voltou a vencer e evitou a aproximação de Burnley e Leicester à zona de qualificação para a Liga Europa 2018/2019. Actual sexto classificadp, o Arsenal venceu o Watford por 3-0, com golos marcados por Mustafi, Aubameyang e Mkhitaryan.
Antes da partida, adeptos do clube protestaram contra o técnico que orienta a equipa desde 1996 com faixas escritas \"Wenger out\" (Fora Wenger) e \"Arsenal not Arsene\" (Arsenal, não Arsene). Com o início do jogo, no entanto, os protestos foram logo aplacados pela boa actuação da equipa: aos oito minutos do primeiro tempo, Mustafi marcou de cabeça após uma falta cobrada por Ozil. O golo de Mustafi foi o milésimo do Arsenal, número que tinha sido alcançado apenas pelo Manchester United até o momento.
No segundo tempo, Aubameyang aumentou o placar aos 14 minutos, após boa jogada de Mkhitaryan. O próprio autor da assistência para o segundo golo é quem marcou o terceiro aos 32 minutos, com passe de Aubameyang após confusão na defesa do Watford. Minutos antes, os visitantes tinham desperdiçado uma oportunidade de facturar na marcação de um penálti de Deeney defendido por Cech.
A vitória mantém o Arsenal em sexto e melhora as perspectivas por ser a segunda seguida na temporada - a anterior havia sido por 2-0, contra o Milan, para a Liga Europa. O jogo da segunda mão com os italianos é na  quinta-feira.

REVOLTA NO BALNEÁRIO
A revolta no balneário do Arsenal foi provocada pela diferença de ordenados que recebem os jogadores e está a criar vários contornos.  O problema ganhou mais relevo, com a chegada ao plantel de estrelas como Aubameyang e Mkhitarian, que ganham mais do que alguns dos jogadores de referência no clube.
Por outro lado, a renovação de Ozil que passou a ganhar quase 400 mil euros por semana,  causou desconforto no seio de alguns colegas, além dos problemas e dúvidas ao redor da continuidade de Wenger no comando técnico do Arsenal, segundo o jornal espanhol \"Sport\".
A discussão do tema foi intensa. A mesma fonte revela que alguns jogadores estão muito insatisfeitos e consideram, inclusive, que o rendimento em campo de alguns colegas não justifica o valor que ganham.
Para complicar a situação, jogador como Jack Wilshere está em fase de renovação, e já deve ter informado que ou aceitam o oferecido pelo Arsenal ou a rescisão é o caminho.

REVIRAVOLTA DO ESPANHOL
O Espanhol venceu ontem a Real Sociedad por 2-1, em Barcelona, num jogo que teve reviravolta no marcador e agudizou a crise de resultados da formação basca fora do estádio de San Sebastian.
O brasileiro Willian José, que aproveitou um erro do central Oscar Duarte, inaugurou o marcador para a Real Sociedad, aos 41 minutos.
Na segunda parte, porém, veio a cambalhota no resultado. Léo Baptistão empatou aos 51 minutos e Gerard Moreno sentenciou o jogo aos 72 minutos, ele que marcou pela 11ª vez na liga espanhola, o que significa que tem pouco menos do que metade dos golos da equipa (26). Gerard Moreno, de resto, ainda falhou um penálti.
Com este resultado, o Espanhol subiu ao 12º lugar, ultrapassando precisamente a Real Sociedad.