0 / 0

D`Agosto e Petro falham nacionais

Os Campeonato Nacionais de basquetebol de Sub-16, em ambas as classes, prova que entra hoje, quinta-feira, no terceiro dia de competição, no Pavilhão Arena Palanca Negra Gigante, em Malanje, estão a ser marcados pelas ausências do Atlético Petróleos de Luanda e da formação do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto), esta última campeã nacional em título, em feminino.

Os Campeonato Nacionais de basquetebol de Sub-16, em ambas as classes, prova que entra hoje, quinta-feira, no terceiro dia de competição, no Pavilhão Arena Palanca Negra Gigante, em Malanje, estão a ser marcados pelas ausências do Atlético Petróleos de Luanda e da formação do Clube Central das Forças Armadas Angolanas (1º de Agosto), esta última campeã nacional em título, em feminino.
Desde terça-feira que a província da Palanca Negra Gigante é palco do \"festival da bola ao cesto\" a nível dos Sub-16, em ambas as classes, competição que conta com a participação de vinte (20) agremiações, sendo treze (13), em masculino, e sete (7), em feminino, representando  sete províncias, nomeadamente, Malanje, Lunda-Sul, Luanda, Benguela, Namibe e Huíla, respectivamente.
Em masculino, a série A é composta pelas equipas da Académica de Malanje, Chicapa da Lunda Sul, Recreativo do Libolo, Aldeia Nova do Wako Kungo, Ferroviário de Luanda e Sporting de Benguela, ao passo que na série B, estão o Grupo Desportivo Interclube, Grémio de Malanje, Formigas do Cazenga, Sporting do Bié, Grupo Desportivo da Banca de Luanda, Futebol Clube Vila Clotilde e Académica do Namibe.
Já em feminino, a competição conta apenas com a participação de sete equipas, nomeadamente, Clube Desportivo Formiguinhas do Cazanga, Grupo Desportivo Interclube, Casa do Pessoal do Porto do Lobito, Benfica do Lubango, Clube Desportivo Escorpiões da Boa Fé de Viana, Peagt de Benguela e Clube Desportivo O Maculusso.Entretanto, as formações do Atlético Petróleos de Luanda e 1º de Agosto, duas colectividades que movimentam orçamentos muito acima de qualquer uma das vinte equipas, que disputam os Campeonatos Nacionais de Malanje, declinaram a respectiva competição, que hoje faz disputar a terceira jornada.
Em declarações ao Jornal dos Desportos, Artur Casimiro Barros, vice-presidente para o basquetebol do Atlético Petróleos de Luanda, afirmou \"que a sua colectividade não está a participar da prova, em virtude de não ter conseguido o apuramento para a referida competição\".
\"Nós temos que nos organizar cada vez mais. Se a memória não me atraiçoa, nós ficamos em quinto ou sexto lugar no campeonato provincial e esta classificação não nos habilita para o campeonato nacional\", justificou o antigo adjunto de Alberto de Carvalho \"Ginguba\" no comando técnico dos hendecacampeões africanos.
A formação do Clube Central das Forças Armadas Angolanas, actual campeã nacional em título, na classe feminina, também está de fora da prova da terra da Palanca Negra Gigante, que encerra a 19 do mês em curso.
Indagado pela nossa reportagem, Joaquim Gomes \"Kikas\", antigo internacional angolano, hoje, nas vestes de director para o basquetebol do grémio militar, alegou que devido ao elevado número de equipas (13) que clube movimenta a nível dos escalões de formação, não é possível participar em todas as provas, devido aos encargos financeiros.
\"Nós temos cerca de treze equipas a nível dos escalões de formação e do ponto de vista financeiro não é possível, colocarmos todas as equipas a competir nas provas nacionais. Estrategicamente, o clube entendeu não participar na prova de Malanje\", finalizou Joaquim Gomes \"Kikas\".      
O arranque da prova ficou marcada, sem sombras de dúvidas, pela ausência dos membros de direcção da Federação Angolana de Basquetebol (FAB), e dos responsáveis da Associação Provincial de Basquetebol de Malanje. No jogo de abertura, o Clube Desportivo Escorpiões da Boa Fé de Viana perdeu para o Benfica do Lubango, por 12-34, em feminino, o Futebol Clube Vila Clotilde derrotou em masculino o Clube Desportivo Formiguinhas do Cazenga, por 49-54, o Grupo Desportivo Interclube vergou o Grupo Desportivo O Maculusso, por 43-27, em feminino, ao passo que o Ferroviário de Luanda derrotou  o Clube Desportivo do Chicapa da Lunda-Sul, por 56-27, isto em masculino.Ontem, a competição fez disputar a segunda jornada que forneceu os seguintes resultados:Formiguinhas venceu o Sporting do Bié, por 56-17, em feminino, ao passo que Interclube vergou o Clube Desportivo Escorpiões da Boa Fé de Vianna, por 14-35.


POSIÇÃO
Associação de Luanda esclarece equívocos

O presidente da Associação Provincial de Basquetebol de Luanda, Carlos Júlio, mostrou-se surpreendido, com as ausências do Atlético Petróleos de Luanda e do 1º de Agosto nos Campeonatos Nacionais de basquetebol de Sub-16, nas duas classes, competição que prossegue hoje de forma animada na província de Malanje.
Ao contrário do que os dirigentes regra geral alegam, de que não conseguiram o apuramento para os nacionais jovens, o antigo árbitro internacional, hoje, nas vestes de presidente da Associação Provincial de Basquetebol de Luanda, esclareceu que para os campeonatos nacionais jovens as equipas são livres de participar, desde que disputam os respectivos provinciais. \"Infelizmente, este é um falso problema que alguns dirigentes das chamadas equipas grandes têm levantado. Portanto, não existe qualquer condição para se participar dos campeonatos nacionais jovens, ou seja, para participar de um campeonato nacional bastará cada equipa disputar o seu campeonato provincial. Quem participar do campeonato provincial, independentemente da classificação, está habilitado em participar do campeonato nacional e os dirigentes sabem perfeitamente disso. Se não vão porque não querem, e não porque não conseguiram o apuramento\", esclareceu o presidente da Associação Provincial de Basquetebol de Luanda.
O antigo juiz internacional assegurou que o seu pelouro fará sair nos próximos dias, um comunicado para clarificar de uma vez por todas esta falsa questão.\"Acredito que nos próximos dias vamos fazer sair um comunicado para esclarecermos de uma vez por todas este falso problema\", asseverou Carlos Júlio. A finalizar, o presidente da associação de Luanda, lamentou o facto dos petizes do Atlético Petróleos de Luanda e do 1º de Agosto não disputarem os nacionais de Malanje.
\"O basquetebol apreende-se jogando e não apenas treinando. Acho que temos que mudar rapidamente a nossa forma de pensar se quisermos desenvolver a nossa modalidade\", desabafou Carlos Júlio.