Hamilton domina treinos livres no GP de Xangai

A Mercedes entrou confiante no primeira sessão de treinos livres do GP da China de F1, com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas no primeiro e terceiro lugares.

A Mercedes entrou confiante no primeira sessão de treinos livres do GP da China de F1, com Lewis Hamilton e Valtteri Bottas no primeiro e terceiro lugares, ‘ a ensanduichar’ Kimi Raikkonen que ficou em segundo, embora conseguisse com pneus ultra-macios, que os flechas prateadas não utilizaram…
Hamilton bateu o finlandês, por três décimos, com o seu companheiro de equipa um décimo mais atrás.
Os Red Bull de Daniel Ricciardo e Max Verstappen, também com pneus ultra macios, ficaram logo a seguir, com o líder do campeonato, Sebastian Vettel,  em sexto.
A Haas surgiu novamente forte, com Kevin Magnussen em sétimo e Romain Grosjean em nono, enquanto os dois Renault de Carlos Sainz e Nico Hulkenberg completaram os dez primeiros, colocaram os seus monolugares em oitavo e décimo, respectivamente. Tal como a Mercedes, também a Renault não utilizou os pneus ultra macios.
Praticamente, todo o plantel foi para a pista no início da sessão, já que a perspectiva de chuva era grande, mas  acabou por não se materializar.
O vento foi problema e os monolugares sofreram, especialmente, nas curvas 6 e 16. Houve alguns incidentes, Verstappen fez uma pequena viagem pela gravilha na última curva, Hamilton fez um pião na curva 11 e do lado da McLaren, Stoffel Vandoorne, saiu de pista na curva 10, embora evitasse as barreiras. Embora as condições de pista não fossem ideais, ninguém teve grandes problemas, com os pilotos a rodarem consistentemente, o que se concluiu desta sessão, foi o facto do que possa acontecer à Mercedes quando ‘calçar’ os ultra macios da Pirelli.

Lewis Hamilton atribui
favoritismo à  Ferrari

Após incomodar a Mercedes e a Ferrari na última temporada, a Red Bull iniciou a edição 2018 do Mundial de Fórmula-1 na expectativa de aproximar-se ainda mais das duas principais equipas do circuito. No entanto, os abandonos de Daniel Ricciardo e Max Verstappen no GP do Bahrein, no final de semana passado, levantaram dúvidas sobre o que se espera este ano da equipa austríaca.
O actual campeão da categoria, Lewis Hamilton, afirmou que a Red Bull ainda não atingiu o nível de Mercedes e Ferrari. “A equipa tem potencial para vencer corridas”, afirmou o britânico, antes de ressalvar. “Nos testes, pareciam muito mais rápidos do que nas duas últimas corridas”, acrescentou.
“Até agora, não estão a operar ao mesmo nível da Ferrari ou da Mercedes. A Ferrari está quase impecável e estamos a trabalhar para sermos impecáveis”, avaliou Hamilton, que liderou o primeiro treino livre para o GP da China, na noite de quinta-feira.
O tetracampeão mundial viu Kimi Raikkonen terminar em segundo lugar e Sebastian Vettel, líder do campeonato, marcar o sexto tempo da primeira sessão em Xangai. Ainda assim, Hamilton considera a equipa italiana favorita para vencer no asfalto chinês.
“Será difícil derrotá-los neste final de semana. Vimos a velocidade deles, em linha recta nas corridas anteriores, foi mais rápida do que a nossa. Aqui, a recta é mais longa, então, acredito que  sejam muito rápidos.
Após duas das 21 etapas do Mundial, Vettel é  líder com 50 pontos, 17 a mais do que o segundo colocado Hamilton. “Eles realmente melhoraram o programa de motor. Isso, realmente, foi um grande passo nesta temporada”, concluiu o piloto da Mercedes.
 
RAIKKONEN
ATROPELA MECÂNICO

Depois de uma cirurgia bem sucedida na segunda-feira, o mecânico Francesco Cigarini recebeu alta do hospital BDF de Manama, capital do Bahrein. No último final de semana, o empregado da Ferrari acabou por fracturar a tíbia e a fíbula da perna esquerda, após ser atropelado por Kimi Raikkonen.
O acidente aconteceu durante o Grande Prémio do Bahrein, no domingo. No momento da segunda parada do piloto finlandês, a equipa cometeu uma falha e acabou por mostrar  luz verde antes do momento correcto, o que fez  que Raikkonen partisse com o carro enquanto alguns mecânicos ainda estavam a trabalhar. Um dos profissionais era Francesco Cigarini, que realizava a troca do pneu esquerdo traseiro, que acabou por passar por cima da perna esquerda, que provocou lesões.
O mecânico italiano foi rapidamente atendido, e levado para o hospital onde esteve, desde então. De lá, o profissional publicou algumas imagens em suas redes sociais em que agradece o apoio dos fãs, e mostra-se a  dar os primeiros passos, após a cirurgia.

CONSTATAÇÂO
Piloto britânico
crê em reviravolta

Lewis Hamilton é o actual campeão de Fórmula 1, esta temporada ainda não ganhou nenhum grande prémio e segue em segundo lugar da classificação de pilotos, a 17 pontos de Sebastian Vettel que venceu as corridas da Austrália e Bahrain.
Apesar do início menos bom, o britânico mostra-se confiante em dar a volta à situação,  admite que não tem mais margem de manobra se quiser voltar a conquistar o título.
"Espero ser capaz de subir na tabela e voltar ao lugar, pelo qual lutámos nas duas últimas corridas. Há coisas boas por chegar, mas estou 17 pontos atrás, e não posso perder mais pontos para o Sebastian", afirmou o piloto, em declarações reproduzidas pela televisão britânica Sky Sports.
Hamilton deixou o aviso à Mercedes, para que a equipa melhore a comunicação: "A diferença é mínima, e isso, faz sobressair a diferença que a comunicação e este tipo de pequenas coisas podem ou não, fazer uma diferença de sete pontos."
O britânico apelou ainda à sintonia na equipa, para derrotar a rival Ferrari: “Não nos podemos dar ao luxo de perder corridas para a Ferrari, por isso, temos de nos colocar numa posição forte, não só nas operações no carro, como também na corrida. A estratégia foi óptima, mas, para a estratégia funcionar, temos de assegurar que estamos em sintonia, quanto ao que temos de fazer."